Skip links
10 novos golpes financeiros e como proteger seu e-commerce

10 novos golpes financeiros e como proteger seu e-commerce

Nos últimos anos, o aumento dos golpes financeiros em e-commerces e vendas online tem se tornado uma preocupação crescente. De acordo com um relatório da Norton Cyber Security, 8 em cada 10 brasileiros temem sofrer golpes financeiros ao realizar compras online.

Esse temor está diretamente relacionado ao número crescente de ciberataques no país. De acordo com a Norton, 32% dos brasileiros já sofreram algum tipo de ataque cibernético.

É crucial que esse receio seja incorporado nas estratégias dos e-commerces, pois os golpes financeiros podem causar enormes prejuízos para os negócios, colocando toda a operação em risco.

Dessa forma, a conscientização sobre novos golpes financeiros, além da educação e treinamento contínuo da equipe, são passos essenciais para evitar perdas significativas.

  • Atenção: é importante que todos os envolvidos nas operações de e-commerce conheçam as táticas dos cibercriminosos e saibam como agir diante de potenciais ameaças.

A seguir, desvendamos quais são novos golpes e listamos dicas sobre como garantir a devida proteção de acordo com os principais golpes financeiros da atualidade.

Confira!

10 novos golpes financeiros para se atentar

1. Phishing avançado

O phishing evoluiu e agora utiliza técnicas mais sofisticadas para enganar os usuários. E-mails, mensagens de texto ou pop-ups fraudulentos são enviados para roubar informações confidenciais, como dados de cartão de crédito e senhas.

Os cibercriminosos se passam por entidades legítimas, tornando difícil distinguir a fraude.

2. Chargeback Fraud

Nesse golpe, o comprador faz uma compra online, recebe o produto ou serviço, e depois solicita o estorno do valor pago alegando que não reconheceu a transação ou que o produto não foi entregue.

Isso gera prejuízos para o vendedor, que perde o produto e o valor da venda.

3. Golpe do WhatsApp

Criminosos se passam por empresas de e-commerce no WhatsApp, enviando mensagens promocionais falsas.

Eles induzem as vítimas a fornecerem informações pessoais ou realizarem pagamentos para compras inexistentes. Esse golpe tem se tornado cada vez mais comum.

4. Autofraude

Aqui, o próprio cliente finge ser vítima de fraude para obter benefícios. Ele alega que não realizou a compra, que não recebeu o produto ou que recebeu um item diferente, buscando receber o reembolso sem devolver o produto.

5. Roubo de identidade

Cibercriminosos obtêm dados pessoais de clientes e os utilizam para realizar compras fraudulentas.

Esse golpe pode ocorrer através de vazamentos de dados ou ataques diretos aos sistemas de e-commerce, causando sérios problemas financeiros e legais.

6. Uso de dados para empréstimos e financiamentos

Informações pessoais roubadas são usadas para solicitar empréstimos e financiamentos em nome da vítima.

Isso pode resultar em grandes dívidas e complicações financeiras para os verdadeiros donos dos dados.

7. Golpe clássico do cartão de crédito clonado

Dados de cartão de crédito são clonados e usados para realizar compras online.

Esse golpe pode ocorrer através de sites inseguros, máquinas de pagamento comprometidas ou vazamentos de dados em massa.

8. Golpe omnichannel

Criminosos exploram a integração entre diferentes canais de venda (online e offline) para cometer fraudes. Por exemplo, realizam compras online para retirar na loja física, utilizando cartões de crédito roubados ou dados falsos.

9. Golpes dos revendedores e fraudes de reembolso

Revendedores desonestos compram produtos em grandes quantidades e os revendem ilegalmente.

Além disso, algumas fraudes de reembolso envolvem devolver itens danificados ou diferentes dos comprados, buscando enganar o sistema de devoluções.

10. Fraude de triangulação

Nesse esquema, o fraudador vende um produto para um cliente legítimo em um marketplace. Ele então usa dados de cartão de crédito roubados para comprar o mesmo produto de uma loja legítima, enviando-o diretamente a um destinatário final.

O verdadeiro dono do cartão não reconhece a compra e solicita o estorno, já o objetivo do fraudador é obter ganhos financeiros indevidos, enquanto a vítima é utilizada como peão nesse jogo perigoso.

Como identificar um golpe financeiro no e-commerce ou Marketplace?

Confira agora boas práticas e dicas estratégicas para detectar fraudes:

Diferentes endereços cadastrados

Clientes utilizando múltiplos endereços de entrega em um curto período podem ser um sinal de fraude. Verifique a consistência dos dados antes de aprovar a compra.

Comportamento suspeito de compras

Fique atento(a) a clientes que fazem compras em grandes quantidades ou de produtos caros sem histórico de compras anteriores. Esse comportamento pode indicar autofraude ou uso de cartões clonados.

Transações de alto valor em horários incomuns

Compras realizadas em horários fora do comum, como durante a madrugada, podem ser suspeitas. Monitore e valide essas transações antes de processá-las.

Múltiplas tentativas de pagamento falhadas

Várias tentativas de pagamento recusadas podem indicar que alguém está tentando usar cartões de crédito roubados. Avalie essas tentativas e se possível bloqueie o cartão temporariamente.

Uso de e-mails temporários

Clientes utilizando e-mails descartáveis ou temporários para realizar compras podem estar tentando esconder sua identidade. Avalie essas contas com cautela.

Informações inconsistentes

Dados de cadastro com informações inconsistentes, como números de telefone não válidos ou endereços incompletos, são sinais de alerta. Confirme a veracidade desses dados antes de concluir a venda.

Mudanças frequentes de endereço de IP

Compras feitas a partir de endereços IP que mudam frequentemente podem indicar fraude. Utilize ferramentas que rastreiam e analisam a localização geográfica dos clientes.

Solicitações de envio expresso

Fraudadores muitas vezes escolhem envios rápidos para receber os produtos antes que a fraude seja detectada. Verifique se o pedido justifica a urgência do envio.

Cartões de crédito de diferentes titulares

Uso de múltiplos cartões de crédito com nomes diferentes para realizar compras pode indicar uma tentativa de fraude. Confirme a legitimidade das transações.

Disputas frequentes de chargeback

Clientes que regularmente contestam compras solicitando estornos podem estar cometendo autofraude. Monitore essas contas de perto.

Ações práticas e iniciais para proteger o seu e-commerce

Para garantir a segurança do seu e-commerce contra golpes e fraudes financeiras, adote as seguintes medidas e estratégias:

Verificação da identidade dos clientes: implemente processos rigorosos de verificação de identidade para novos clientes. Isso pode incluir a validação de documentos pessoais e informações de contato.

Utilização de sistemas antifraude: invista em sistemas antifraude robustos que possam detectar padrões suspeitos de comportamento de compra, como transações incomuns ou compras em grande quantidade.

• Utilização de soluções e softwares protegidos: utilize softwares de e-commerce e soluções de pagamento que ofereçam proteção avançada contra fraudes cibernéticas.  Mantenha esses sistemas sempre atualizados.

• Monitoramento e auditorias de segurança: realize auditorias regulares de segurança para identificar vulnerabilidades no seu sistema. Monitore continuamente as transações e atividades suspeitas.

• Parcerias com especialistas em tecnologia e segurança da informação: estabeleça parcerias com consultorias ou empresas especializadas em cibersegurança para auxiliar na proteção dos seus dados e operações online.

Conclusão

Diante do crescente cenário de golpes financeiros no ambiente digital, especialmente em e-commerces e marketplaces, é crucial que os negócios estejam constantemente vigilantes e bem-preparados para enfrentar ameaças cibernéticas.

Adotar medidas preventivas, como sistemas antifraude, verificação de identidade e parcerias com especialistas em segurança da informação, por exemplo, é indispensável para mitigar os riscos.

A YTecnologia possui conteúdos relevantes e do seu interesse em nosso blog. Acesse nossa trilha de conteúdo e leia mais um artigo sobre o Marketplaces e e-commerces.

Amplie!
Arraste!